domingo, 3 de maio de 2009

Vagas e o tempo



Li um posto num blog sobre o jeitinho brasileiro de querer levar vantagem em tudo e acabei por escrever o post abaixo

Outro dia eu, de tão certinho, me atrapalhei. Fui ao shopping com meu pai e minha mãe e como sempre, difícil encontrar vagas; nisso um dos auxiliares do estacionamento indicou uma das 5 vagas especiais para idosos; eu fiz o gesto que não. E ele insistiu, e eu fiz novamente que não e já pensava em passar por cima do cara de raiva e sem noção dele, quando meu pai olhou para mim e perguntou:
- Por que você não coloca ali?

Como meu pai não mora aqui em Salvador e não está acostumado a essas vagas reservadas pensei que ele não estava entendendo que as vagas eram reservadas e fui explicar:

- ...?!.... - Olhei para ele e antes mesmo de soltar uma palavra, me dei conta que ele e minha mãe já estavam aposentados e se enquadram na classificação para usar a vaga, apesar que pela aparência não se diz.

Pela minha súbita parada na explicação, meu pai entendeu que eu tinha me passado e falou com bom humor:
- A idade avançada finalmente serve para alguma coisa. :)

Realmente, às vezes eu perco noção do tempo. Outro dia (na verdade, uns 2 ou 3 anos atrás) encontrei com uma colega de colégio, da 5 série, e fiquei espantado; ela estava bastante diferente: bem mais alta, encorpada, a aparência de menina escondida pelas responsabilidades, ou seja, uma mulher formada. Só depois é que me dei conta que ela tinha a mesma idade que eu, e, na época, estávamos beirando os 30.

4 comentários:

Camila Paranhos disse...

adorei... rs
beijocas.

Manoel Trajano disse...

Quando eu falei sobre uma mulher encorpada entre os familiares voces deram risada de mim pensando que eu referia a loura...a cerveja....rssss

Renata Almeida disse...

é..o tempo voa!! e a gente nao se da conta mesmo..
bonito post!
bj

Grace disse...

Miro,
Que texto lindo, amigo!
Fico orgulhosa de ver meu amigo querido escrevendo tão bem assim.
Gostei demais de suas palavras.
Bjos